A Constelação de Orion é Verão brilhando no firmamento

A Constelação de Orion é Verão brilhando no firmamento

Valdemar Augusto Angerami

Para

Doutorinha do sorriso lambuzado de chocolate…

e de bolo de cenoura…

Antaris surge fulgurante…

E a Constelação de Pégaso se move para o leste…

Surge o teu jeitinho, faceiro, encantador…

Olhos que brilham e trazem luz à própria vida…

E ao sul surge a Constelação de Orion…

A Arturus te traz junto com o Verão…

E tudo se transforma…

Verão e sua florada exuberante…

Do amarelo ouro da Cássia Imperial..

Do rosa estonteante do Ipê Rosa…

Do verde que se mistura às folhagens do Pau-Ferro…

Verão do Sol escaldante sobre o peito…

Da vida que se transforma em sonhos e ilusões…

De como a Constelação de Orion ao brilhar

no firmamento traz e leveza de uma noite quente de Verão…

De como tudo é azul no farfalhar da própria vida…

E de como saber de você é saber que o Verão é

transformação em luz e amor…

Borboletas azuis que encantam com seus voos nossos dias…

Cigarras em seus cantos de alegria anunciando o tempo do ócio…

Tempo em que a vida pede pausa das turbulências, da miséria,

das desigualdades sociais… Tempo de um tempo em que o Sol

traz a esperança de novo amor, nova cor, nova luz…

De como ver a Constelação de Orion nos céus no hemisfério norte

é saber que o anúncio do Verão é a tua forma estelar…

Aqui teu fascínio nos moldura de dezembro a março…

E no hemisfério norte de junho a setembro…

E de como seguimos a Orion para seguir o Verão…

E da vida que transpassa nessa passagem com o teu sorrir,

com o teu deslumbre com a própria vida…

Das flores vermelhas dos flamboyants…

Da delicadeza das flores do Guatambu…

E de como a vida que se renova no Verão pede amor…

Amor de uma noite quente de Verão…

Amor paixão, amor escaldante… amor amor, la amour…

E de como viver o Verão é saber da vida em esplendor…

Te tomar pela mão e arrastar os pés pelas areias da praia…

Em João Pessoa, em Santos, Lucena, e em Saint Marie de La Mer…

De como a florada de Verão anuncia o próprio esplendor da renovação…

E de que a vida vale por mais um Verão em nossas vidas…

Serra da Cantareira, numa manhã azul de Verão…

Alma Cigana

Alma Cigana

     Valdemar Augusto Angerami

      Para  Paulinha,

      a minha ciganinha flamenca…

O perfume exalado jamais volta ao frasco…

A flecha uma vez lançada perde relação com o arco…

A rosa despetalada não tem vínculo com a rameira…

A vida não, tudo que vivemos é o que sentimos

em enossa evolução de vida e alma…

Serra da Cantareira, numa manhã azul de primavera…

FLORES

FLORES

Valdemar Augusto Angerami
Quando eu flor…

Quando tu flores…

Quando eles florem…

Nós seremos flores…

E o mundo será flor, paz e amor…

Harmonia, cor e luz…

Sem desigualdades sociais, ódio… e sem violência…

Paz e bem!

 

Serra da Cantareira, numa manhã azul de primavera….

Amor

Amor

Thiago Nogueira Sobral

Amor seria esse sentimento de troca

Seria um sentimento maior

Que sinto na relação com os outros

Pode ser um sentimento dado como melhor

Mas a onde poderia este se encontrar

Esse sentimento de cuidado

Que herdamos desde pequenos

E levamos para a vida

Algo que foi passado

O amor de mãe ou outros amores

Recebemos na vida de alguma forma

Nós precisamos de carinho

Sentimentos de afeto

E crescemos com ele de alguma forma

Passamos o amor que achamos ser o melhor

Ser para a vida o ideal sentido

Sentimento de apego e de colo

Precisamos e necessitamos desta emoção

Emoção de entrega

Que toca nosso ser e o outro

Ser para a vida e para o mundo

Ser que passa amando e amado é

Sentimento da transformação

Sentimento romântico

E que pode ser a inquietude pessoal

Que vive em nós

E permanece presente

E para toda a vida…

Desespero

Desespero

 

Thiago Nogueira Sobral

 

Lágrimas que caem no solo

E alimenta a terra ardente

Forças da vida desmoronam

A esperança se perde em momentos

Esse é o meu desespero

Na inquietude do amor e ódio

Caminha em tempos

Em um novo nascer do sol

Ó fadiga lacerante

Dilacerante bate em meu peito

Sinto coração mais forte

Mais quero encontrar uma saída

E não sei por onde

Nesse ardor que alimenta meu corpo

Sinto-me fadado

A alma faz sangrar o sofrimento

Mas já não me arrependo

Do que sinto e vivo

Porque sei que tenho de passar

Passar meu tempo assim

Mais sei que algo me fez parar

Faz parar para pensar

Faz parar para viver

Independente de pensar

O melhor e o pior

Eu estou desesperado

Não consigo controlar

Pois sei que algo

Fez minha alma gritar

Da minha dor, a tua dor…

Da minha dor, a tua dor…

Valdemar Augusto Angerami

Para Patrícia

 

 

Alquebrado pela dor te vejo ao meu lado…

Acolhimento sereno, amigo, companheiro…

Vejo-te sorrir mesmo quando a alma sangra,

É o desdobramento da própria vida no teu sorriso…

Sorriso que escancara a tua fé na minha superação.

De como a luta embora árdua seja também amor…

E da fé de que embora caminhando por caminhos turvos

pede coragem e mais luta. Luta e um caminhar sem

fim… Um caminhar sobre linhas tortuosas em que a tua aura

é a minha guia e luz nesse momento em que o Sol insiste em

se ausentar no meio das tormentas… Você me ensinou a não desacreditar

da existência das estrelas por elas estarem escondidas sob as nuvens…

 

 

Serra da Cantareira, numa manhã azul de outono de 2012.

Água da Vida

Água da Vida

Thiago Nogueira Sobral

Água abençoada

Que banha meu corpo

E acalma minha alma

Água da vida

No céu e na terra você está

Cai da chuva e alimenta a terra

Caminha em tempos

E na vida também

Nas plantas e nos animais

Você é meu tudo

Sacia minha sede

Lava minha alma

Você está sempre presente

Nas lágrimas

Que correm meu rosto

Você é mais em mim

Do que eu em você

É um grande mistério

Pois de você sou feito

Da água que corre meu sangue

Da minha vida

Mais sei que um dia

Você não será mais minha

Você voltará ao mundo

Nos rios e mares

E não será mais minha

Água da vida

Água que passa

Que entra e sai

Cura a ressaca

E limpa o meu mundo

Mundo que da água é feita

Sou feito dela

E dela um dia não serei

Ela continuará água

E eu não serei eu sem ela

Serei terra

E a água sempre será água

Para outras vidas que passam

E que dela precisam

Água eterna

Solidão

Solidão    THIAGO NOGUEIRA SOBRAL 
  Não adianta esconder algo que é de sua vida A onde você correr ela estará junto de você  A interação social não vai resolver  Pois no íntimo a certeza é de estar só  É o se dar conta da ausência de tudo e todos  Não adianta esconder algo que é seu  E fugir para não está sozinho  Você procura uma paz de espírito  Fala com o vazio  Falar comigo não trás conforto  Você precisa estar só e sentir só  Só o silêncio trás o amor consigo  E a tolerância também  Você quer se esconder e não aguenta estar sozinho  Você procura algo de bom para a vida  Mais não a nada em vista  No final da caminhada  Não encontrará ninguém  Não adianta se esconder de si  Não adianta correr contra o escuro e o vazio  Escute a voz do seu coração  E encontre o sentido de sua condição   

ANDANDO

ANDANDO 

João Luiz Muzinatti

 

O parto da noite vem em poucas contas

entre luzes frias e semblantes parcos.

Rito ou a promessa à vida que desponta

são os passos leves em que hoje embarco,

querendo dizer o que nem sei se entendo

dessa vida curta, desse desvario

que a cidade veste em sedas e remendos,

deste engalfinhar-se de animais no cio,

como se o presente, de repente, o tempo

leiloasse aos poucos, e avisasse a gente

que o futuro é a lua que se vê nascendo

mas a morte é a bruma que vem de repente

apagar a letra  das estrelas brancas

a excitar o céu em seu balé candente.

. . .

E os passos lentos feitos divas mancas

fingem seu traçado à turba complacente…