ANDANDO

ANDANDO 

João Luiz Muzinatti

 

O parto da noite vem em poucas contas

entre luzes frias e semblantes parcos.

Rito ou a promessa à vida que desponta

são os passos leves em que hoje embarco,

querendo dizer o que nem sei se entendo

dessa vida curta, desse desvario

que a cidade veste em sedas e remendos,

deste engalfinhar-se de animais no cio,

como se o presente, de repente, o tempo

leiloasse aos poucos, e avisasse a gente

que o futuro é a lua que se vê nascendo

mas a morte é a bruma que vem de repente

apagar a letra  das estrelas brancas

a excitar o céu em seu balé candente.

. . .

E os passos lentos feitos divas mancas

fingem seu traçado à turba complacente…